SENAR/AP Cultivando o Conhecimento

Preço ao produtor de leite fica praticamente estável em dezembro

Preço ao produtor de leite fica praticamente estável em dezembro

Captação de leite foi quase 8% maior no acumulado dos 11 primeiros meses do ano (Foto: Jorge dos Santos/Ed. Globo)

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

O preço recebido pelo produtor de leite ficou praticamente estável no Brasil durante o mês de dezembro, de acordo com o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). A referência medida com base nos negócios praticados em sete Estados acumulou alta de 0,03%, a R$ 1,00 o litro (livre de frete e impostos). Em relação a dezembro do ano passado, o valor médio é 18% superior.

As variações mais significativas nos preços foram registradas pelos pesquisadores em Santa Catarina (+1,76%), São Paulo (-1,86%) e Bahia (-1,27%). Os preços no Rio Grande do Sul, Paraná, Goiás e Minas Gerais, o valor recebido pelos pecuaristas teve alterações mais leves, 0,74%, 0,38%, 0,2% e -0,25%, respectivamente.

De acordo com o Cepea, os resultados mostram situações distintas de mercado nas diferentes praças, apesar da estabilidade na média nacional. O quadro de oferta e demanda é considerado “delicado”. De um lado, a demanda ficou mais fraca em função das festas de fim de ano e das férias escolares. De outro, em algumas regiões, a captação de leite diminuiu, com consequente redução de estoques, o que pode possibilitar a retomada das cotações.

No Rio Grande do Sul, por exemplo, o volume captado de leite caiu 3,7% em novembro, em função dos baixos preços do leite. Em Santa Catarina e no Paraná, ocorreram leves altas, de 0,3% e 0,9%, respectivamente. Minas, Goiás, São Paulo e Bahia, também aumentaram a captação de leite em novembro, elevando em 1,3% a média nacional em relação a outubro. De janeiro a novembro, houve elevação de 7,8% em comparação com o mesmo intervalo em 2016.

"Os baixos preços no campo, além de impedirem maiores quedas em algumas praças, possibilitaram até mesmo altas em outras como estratégia para manter os produtores e garantir a compra do leite. Segundo colaboradores do Cepea, muitos produtores já deixaram a atividade, enquanto outros têm aumentado o abate de vacas e/ou investido menos em sua produção", dizem os pesquisadores.

Na média anual, o preço pago ao produtor de leite medido pelo Cepea ficou em R$ 1,7112 o litro, queda de 8% em relação ao registrado em 2016. De acordo com os pesquisadores, o cenário é de estabilidade para alta nos valores recebidos pelos pecuaristas para a maior parte dos agentes de mercado consultados.

Fonte: Revista Globo Rural

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp

Veja Também:

Artigos Relacionados